FRANCISCO DE MENEZES DIAS DA CRUZ (1853 / 1937)

Patrono que dá nome à Mocidade Espírita Dias da Cruz da Casa Espírita

No dia 30 de setembro de 1937, desencarnava na cidade do Rio de Janeiro, o eminente médico homeopata e espírita militante, Dr. Francisco Menezes Dias da Cruz, com 81 anos.

O Dr. Dias da Cruz tinha o mesmo nome do pai, eminente figura humana que teve atuação na política do Império no Munícipio do Rio de Janeiro e que também era médico com notável atuação na Faculdade de Medicina e no exercício caridoso junto à população daquela cidade. Nasceu Dias da Cruz na cidade do Rio de Janeiro a 27 de fevereiro de 1853, sendo seu pai Francisco de Menezes Dias da Cruz e Rosa de Lima Dias da Cruz. Aluno da Escola de Medicina, durante a qual contraiu núpcias com a Exma. Sra. Dona Adelaide Pinheiro Dias da Cruz. Ao formar-se em Medicina, perdeu o pai, que havia sido ferido à baioneta na Igreja do Sacramento.

Teve desde cedo notável atuação como professor e médico homeopata.

Seus biógrafos citam as atividades seguintes:

– Professor de matemática no Colégio Pinheiro onde concluíra o Curso de Humanidades.

– Bibliotecário, durante 10 anos, da Câmara Municipal.

– Presidente do Curso Hahnemaniano e do Instituto Hahnemaniano do Brasil.

A sua conversão ao Espiritismo é relatada por Zêus Wantuil no livro “Grandes Espíritas do Brasil”. Ouvira várias referências de pessoas idôneas sobre a atuação de seu pai já desencarnado através de médiuns receitistas na Federação Espírita Brasileira onde realizava intenso trabalho de caridade. Decidiu, então manter contato coma FEB e foi assistir a uma ds suas sessões. Estava assentado entre os assistentes, quando seu pai se manifestou, por um médium e o convidou a ter acesso ao local destinado às manifestações mediúnicas. Aproximou-se surpreso e incrédulo.

Disse-lhe seu pai:

– Você se lembra daquele fato que ocorreu conosco, na praça tal?

(E relatou uma ocorrência, só conhecida de ambos)

Desta data em diante aceitou a comunicação espírita como verídica e passou a estudar a Doutrina Espírita, tornando-se um grande trabalhador da causa do Espiritismo.

Fatos notáveis de sua vida como espírita:

– Em 1885, proferiu a primeira conferência na Federação Espírita Brasileira;

– Integrou várias comissões importantes em defesa da Doutrina;

– Em 1890, em sucessão ao Dr, Bezerra de Menezes, foi eleito Presidente da FEB, cargo que ocupou, com devotamento até 1895.

– Foi quem primeiro tentou, em 1891, adquirir um prédio próprio para a FEB e montar oficina tipográfica para a impressão do “Reformador” e de obras espíritas em geral.

– Na sua gestão tiveram início os trabalhos de socorro material e espiritual da Assistência aos Necessitados, que prossegue até hoje na FEB.

– Em 1896. Por proposta de Bezerra de Menezes foi aclamado Presidente Honorário da Federação Espírita Brasileira.

Foi Diretor da Revista “Reformador” durante o período em que presidiu a FEB tendo escrito inúmeros artigos doutrinários e polêmicos com assinatura modesta de “Um Espírito”;

– É de sua autoria o livro: “O Professor Lombroso e o Espiritismo”;

– Presidiu em 1926 o 1º Congresso Brasileiro de Homeopatia.

Dizem os seus contemporâneos que o cumprimento do dever era quase que sagrado para o Dr. Dias da Cruz. Como professor, jamais deixou de comparecer à hora certa em suas aulas. Como clínico no Hospital Hahnemaniano, não se fazia esperar pelos doentes.

Eis, em síntese, a brilhante personalidade daquele que dignificou o Espiritismo e a Homeopatia no Brasil.

Sobre o Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.